Os Servidores de Hortolândia precisam estar unidos e eleger políticos comprometidos com a classe

Nós, Servidores públicos municipais, vamos ter ainda mais desafios pela frente. Temos o exemplo dos trabalhadores celetistas, ou seja, aqueles regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Nossos colegas sofrem com a Reforma Trabalhista e com a Reforma Previdenciária, que também nos atingirá. A desunião de algumas entidades sindicais, a briga pelo poder e a inércia dos trabalhadores em não participarem da vida de sua instituição de classe foram os grandes responsáveis pelo avassalador ataque aos direitos. Isto é, quando a vaidade acabou com a unidade.

Percebemos depois de pouco tempo que a proposta inicial do Governo de gerar empregos com as “deformas” foi um grande golpe para enganar a maioria e precarizar ainda mais as condições de trabalho. Em Brasília pipocam projetos para congelar salários, retirar a estabilidade do Servidor, acabar com a licença-prêmio e muito mais. E essas propostas já invadiram muitos municípios, como por exemplo alguns funcionários públicos de cidades do estado que já perderam a licença-prêmio.

AONDE ENTRA O SERVIDOR DE HORTOLÂNDIA EM TUDO ISSO?

Temos duas opções: cometer os mesmos erros das entidades sindicais e dos trabalhadores das empresas privadas ou nos organizarmos e resistirmos aos ataques constantes. Em Hortolândia é preciso deixar a vaidade e as brigas políticas de lado e defendermos EXCLUSIVAMENTE nossos direitos e conquistas adquiridos com muita luta, resistência e mobilização.

Temos ainda a missão de elegermos pessoas comprometidas com o funcionalismo de Hortolândia. Pessoas que entendam o que é o serviço público e a sua importância. Precisamos de vereadores, deputados estaduais e federais, além de senadores humanizados com a nossa causa. Tudo que envolve nossos direitos passa pela casa de lei e, sem representantes, sem organização e ação perderemos gradativamente todos os direitos.

Resta a nós, Servidores, escolhermos o futuro almejado. Sem dúvida, esse futuro vitorioso dependerá de inciativas lúcidas agora. Parabéns, trabalhador do serviço público. Aqui em Hortolândia podemos afirmar que o funcionalismo tem uma entidade representativa, porém, ficaremos mais fortes se o trabalhador participar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×